» 
alemão búlgaro chinês croata dinamarquês eslovaco esloveno espanhol estoniano farsi finlandês francês grego hebraico hindi holandês húngaro indonésio inglês islandês italiano japonês korean letão língua árabe lituano malgaxe norueguês polonês português romeno russo sérvio sueco tailandês tcheco turco vietnamês
alemão búlgaro chinês croata dinamarquês eslovaco esloveno espanhol estoniano farsi finlandês francês grego hebraico hindi holandês húngaro indonésio inglês islandês italiano japonês korean letão língua árabe lituano malgaxe norueguês polonês português romeno russo sérvio sueco tailandês tcheco turco vietnamês

definição - som

definição - Wikipedia

   Publicidade ▼

sinónimos - som

som (n.)

audio-, pio, ruído, timbre, tom

som (n.m.) (Portugal;Brasil)

voz, barulho  (Brasil)

ver também - som

som (n.m.)

acústico, sonoro calada, silêncio, sossego

   Publicidade ▼

locuções

-A Cor do Som • A Cor do Som (álbum) • A Cor do Som ao vivo no Montreux International Jazz Festival • A representação do som do /ch/ • Agudo (som) • Aldeia do Som • Aline Barros Som Gospel • Alt det som ingen ser • Aparelho de som • Ataque (som) • Barreira do som • Beep (som) • Bloch Som e Imagem • Buraka Som Sistema • Captador ativo de som • Dansa do Som • Decaimento (som) • Desenho de som • Det Som Engang Var • Diretor de som • Editores de som • Engenheiro de som • Fundação Museu da Imagem e do Som • Fábrica Som • Mandando Bom Som • Metro-Som • Mitt liv som hund • Museu da Imagem e Som de Alagoas • Museu da Imagem e do Som • Museu da Imagem e do Som (Campo Grande) • Museu da Imagem e do Som de Cuiabá • Museu da Imagem e do Som de São Paulo • Museu da Imagem e do Som do Ceará • Museu da Imagem e do Som do Pará • Novo Som • O Som do Sim • O Som que Vem da Luz do Sol • Operador de som • Os Melhores Momentos (Som Livre) • Oscar de melhor edição de som • Oscar de melhor mixagem de som • País do Som • Placa de som • Poly som • Quarteto do Som • Radio Som Maior Premium • Repouso (som) • Servidor de som • Sistema de som • Sobe Som • Som (desambiguação) • Som Brasil • Som Canterbury • Som De Vera Cruz • Som Imaginário • Som Livre • Som Maior Premium • Som automotivo • Som canterbury • Som da Rua • Som de Adoradores • Som de Caráter Urbano e de Salão • Som de Vera Cruz • Som digital • Som en dröm • Som en vind • Som gospel • Som na Caixa • Som puro • Som quirguiz • Som surround • Sustentação (som) • Sábado Som • Técnico de som • Um Som • Velocidade do som

dicionario analógico







Wikipedia

Som

                   
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Física.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde Março de 2009.

Question book.svg
Este artigo não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O som é a propagação de uma frente de compressão mecânica ou onda mecânica; esta onda propaga-se de forma circuncêntrica, apenas em meios materiais - que têm massa e elasticidade, como os sólidos, líquidos ou gasosos.[1]

Os sons naturais são, na sua maior parte, combinações de sinais, mas um som puro monotónico, representado por uma senóide pura, possui uma velocidade de oscilação ou frequência que se mede em hertz (Hz) e uma amplitude ou energia que se mede em decibéis. Os sons audíveis pelo ouvido humano têm uma frequência entre 20 Hz e 20.000 Hz. Acima e abaixo desta faixa estão ultra-som e infra-som, respectivamente.[2]

Seres humanos e vários animais percebem sons com o sentido da audição, com seus dois ouvidos, o que permite saber a distância e posição da fonte sonora: a chamada audição estereofônica. Muitos sons de baixa frequência também podem ser sentidos por outras partes do corpo e pesquisas revelam que elefantes se comunicam através de infra-sons.

Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou, por exemplo, música. A percepção do som também pode ser usada para adquirir informações sobre o ambiente em propriedades como características espaciais (forma, topografia) e presença de outros animais ou objetos. Por exemplo, morcegos, baleias e golfinhos usam a ecolocalização para voar e nadar por entre obstáculos e caçar suas presas. Navios e submarinos usam o sonar; seres humanos recebem e usam informações espaciais percebidas em sons.

  Esquema representando a audição humana. (Azul: ondas sonoras; Vermelho: tímpano; Amarelo: cóclea; Verde: Células receptoras de som; Púrpura: espectro de frequências da resposta da audição; Laranja: Potencial de ação do nervo.

Índice

  Percepção dos Sons

  Orelha humana

Para os humanos, a audição é normalmente limitada por frequências entre 20 Hz e 20.000 Hz (20 kHz), embora estes limites não sejam absolutos. O limite maior normalmente decresce com a idade. Outras espécies têm diferentes níveis de audição. Por exemplo, os cães conseguem perceber vibrações mais altas que 20.000 Hz. Como um sinal percebido por um dos sentidos, o som é usado por muitas espécies para detectar o perigo, orientação, caça e comunicação. A atmosfera da Terra, a água e virtualmente todos os fenômenos físicos, como o fogo, a chuva, o vento, as ondas ou os terremotos produzem sons únicos. Muitas espécies, como os sapos, os pássaros, mamíferos terrestres e aquáticos foram, também, desenvolvendo órgãos especiais para produzir som. Em algumas espécies, estes evoluíram para produzir o canto e a fala.

  O som em fluidos

O som pode ser descrito através de ondas sonoras, que são ondas de deslocamento, densidade e pressão que se propagam pelos fluidos. Isso quer dizer que após a passagem de uma onda sonora por uma região do fluido, a posição de suas partículas, bem como a pressão e a densidade, retornarão aos seus valores originais (anteriores à passagem da onda). Tais deslocamentos e variações de pressão e densidade, ainda que muito pequenos, dão origem ao transporte de energia que caracteriza uma onda.

Para encontrar a equação de ondas sonoras é necessário fazer uma aproximação em que as velocidades e variações de pressão e densidade associadas a ele são muito pequenas. Fazendo essas considerações, surge a equação do som. Ela é uma idealização, mas as ondas sonoras reais a obedecem com excelente aproximação.

Aqui, consideraremos apenas fluidos ideais e isotrópicos. Duas equações importantes na descrição de um fluido ideal são a Equação de Continuidade:

\frac {\partial \rho}{\partial t} + \vec v \cdot \nabla \rho + \rho \nabla \cdot \vec v = 0

e a Equação de Euler:

 \frac {\partial \vec v}{\partial t} + (\vec v \cdot \nabla)\vec v = - \frac {1}{\rho} \nabla p

onde \rho = \rho(x,y,z,t) é a densidade definida para ponto do espaço e para cada instante do tempo,  \vec v = \vec v (x,y,z,t) é a velocidade da região infinitesimal do fluido no ponto  (x,y,z) durante o instante  t , e  p = p (x,y,z,t) é a pressão, definida da mesma maneira que a densidade.

Para nos restringirmos a efeitos sonoros, consideraremos a pequenez da velocidade e das derivadas da pressão e densidade. A consequência disso é que os termos que dependem duplamente de uma ou duas dessas grandezas poderão ser desprezados, uma vez que diminuições delas provocam uma diminuição muito maior desses termos do que daqueles que dependem apenas de uma grandeza. Assim, podemos identificar dois desses termos nas equações acima:

\vec v \cdot \nabla \rho

e

(\vec v \cdot \nabla)\vec v

De modo que elas ficam

\frac {\partial \rho}{\partial t} + \rho \nabla \cdot \vec v = 0

 \frac {\partial \vec v}{\partial t} = - \frac {1}{\rho} \nabla p

Podemos derivar parcialmente ambos os membros da primeira em relação ao tempo. Assim, obtemos

\frac {\partial^2 \rho}{\partial t^2} = - \frac {\partial \rho}{\partial t} \nabla \cdot \vec v - \rho \nabla \cdot \frac {\partial \vec v}{\partial t}

O termo

 - \frac {\partial \rho}{\partial t} \nabla \cdot \vec v

Depende duplamente da densidade e da velocidade, então o desprezamos:

\frac {\partial^2 \rho}{\partial t^2} = - \rho \nabla \cdot \frac {\partial \vec v}{\partial t}

Agora, substituimos nesta a equação que veio da equação de Euler:

\frac {\partial^2 \rho}{\partial t^2} = \rho \nabla \cdot \left(\frac {1}{\rho} \nabla p \right) = \rho \left(-\frac{\nabla \rho}{\rho^2}\right) \cdot \nabla p +\nabla^2 p

Desprezaremos o primeiro termo e consideraremos, em uma hipótese que a densidade e a pressão sejam independentes do tempo, que:

 \nabla^2 p=\left[ \frac {\partial p}{\partial \rho} \right] \nabla^2 \rho

Finalmente podemos escrever a Equação de Onda:

\frac {\partial^2 \rho}{\partial t^2} = v^2 \nabla^2 \rho

onde identifica-se

 v = \sqrt {\left[ \frac {\partial p}{\partial \rho} \right]}

como a velocidade do som no meio.

Na realidade, há várias equações de ondas sonoras. sendo que a escrevemos acima é a equação da densidade. A equação da pressão é obtida trivialmente usando a regra da cadeia:

 \frac {\partial^2 p}{\partial t^2} = v^2 \nabla^2 p

Agora, derivaremos a equação da velocidade. Essa equação será um pouco diferente das demais, uma vez que se trata de uma equação vetorial. Para isso, usaremos novamente a equação

 \frac {\partial \rho}{\partial t} + \rho \nabla \cdot \vec v = 0

Podemos resolvê-la em relação à densidade, colocando-a sob a forma

 \frac {\partial \rho/\partial t}{\rho} = - \nabla \cdot \vec v

 \frac {\partial}{\partial t} (ln \rho) = - \nabla \cdot \vec v

 (ln \rho) = - \int_{t_0}^{t} \nabla \cdot \vec v dt + D(x,y,z)

Agora, introduziremos o deslocamento  \vec u (x,y,z,t) . Ele indica o deslocamento de uma partícula do fluido em relação à sua posição de equilíbrio (x,y,z). Com isso, podemos ver que

 \frac {\partial \vec u}{\partial t} = \vec v

Então, escrevemos

 \rho = e^{-\nabla \cdot \vec u + D(x,y,z)}

Fazendo  \rho (t_0) = \rho_0 , e  -\nabla \cdot \vec u(t_0) = 0 obtemos

 \rho_0 = e^{D(x,y,z)}

Finalmente,

 \rho = \rho_0 e^{-\nabla \cdot \vec u}

Agora, voltemos à equação que derivamos, no início, da equação de Euler:

 \frac {\partial \vec v}{\partial t} = - \frac {1}{\rho} \nabla p

 \frac {\partial \vec v}{\partial t} = -v^2 \frac {1}{\rho} \nabla \rho

 \frac {\partial^2 \vec u}{\partial t^2} = -v^2 \frac {1}{\rho} \nabla \rho

E, substituindo pelo que achamos,

 \frac {\partial^2 \vec u}{\partial t^2} = -v^2 \frac {1}{\rho_0 e^{-\nabla \cdot \vec u}} \nabla \left(\rho_0 e^{- \nabla \cdot \vec u}\right)

 \frac {\partial^2 \vec u}{\partial t^2} = -v^2 \frac {1}{\rho_0 e^{- \nabla \cdot \vec u}} \left( \nabla \rho_0 . e^{- \nabla \cdot \vec u} + \rho_0 \nabla \left(e^{- \nabla \cdot \vec u}\right)\right)

 \frac {\partial^2 \vec u}{\partial t^2} = -v^2 \frac {1}{\rho_0 e^{- \nabla \cdot \vec u}} \left( \nabla \rho_0 . e^{ - \nabla \cdot \vec u} + \rho_0 \nabla \left({- \nabla \cdot \vec u} \right) e^{- \nabla \cdot \vec u} \right)

 \frac {\partial^2 \vec u}{\partial t^2} = -v^2\left(\nabla \left(- \nabla \cdot \vec u \right) + \frac {\nabla \rho_0}{\rho_0} \right)

Derivando ambos os lados parcialmente em relação ao tempo,

\vec v \cdot \nabla \rho

Que é a equação de ondas sonoras para a velocidade.

  Tecnologia sonora

  Esquema representando duas ondas sonoras de diferentes frequências.

O advento da tecnologia e principalmente da eletrônica permitiu o desenvolvimento de armazenamento de áudio e aparelhos de som para gravação e reprodução de áudio, principalmente música.

São exemplos de fontes ou mídias o MP3, CD, o LP ou Disco de vinil e a cassete. Alguns dos aparelhos que reproduzem essas mídias, são o toca-discos e o gravador cassete.

Desde seus primórdios, com a invenção do fonógrafo, essa reprodução eletrônica do áudio evoluiu até atingir seu auge na alta fidelidade, que faz uso da estereofonia.

Instrumentos musicais: Cada instrumento produz as notas com timbres diferentes. As vibrações são criadas por toque ou sopro e cada instrumento tem o seu ressoador que amplifica os sons audíveis. Ex: no piano quem gera o som é a corda e quem ressoa é a caixa de ressonância.

Referências

  1. “Som e sua propagação”, no site SoFísica.com.br acessado a 5 de agosto de 2009
  2. Física da Fala e da Audição - Prof. Dr. Marcelo Knobel. UNICAMP

  Ver também

   
               

 

todas as traduções do som


Conteùdo de sensagent

  • definição
  • sinónimos
  • antónimos
  • enciclopédia

   Publicidade ▼

Últimas investigações no dicionário :

4351 visitantes em linha

calculado em 0,140s

   Publicidade ▼